Panetone fala sobre a oficina #4

Como começou a sua história com o Labmovel?

Panetone: Era uma vez… Fiz uma oficina no artemov edição Belém. Como sou de Porto Alegre, me mandaram para o lugar mais longe possível. Em Belém, partimos da sucata eletrônica variada na tentativa de combinar elementos e criar novas formas gerar áudio e vídeo.

Quais foram as diferenças das duas cidades?

Panetone: Acho que em Belém estávamos em um ambiente mais controlado. No Capão Redondo, era ritmo de aventura todo instante.

Em Belém havia tanta criança?

Panetone: Em Belém tinha crianças também. E alguns eram artistas bonequeiros.

Como foi a apresentação final do Capão Redondo?

Panetone: Foi uma grande celebração, uma quebra de mito. Bastante gente não estava entendo nada mas quem se aproximou conseguiu ler o código e começar a entender um pouco das possibilidades do fazer, que tudo não passa de linguagem. E que peças eletrônicas e uma laranja vem da mesma terra.

Os comentários estão desativados.