Plástico, espelho, água, vidro. Objetos do dia a dia instigam o olhar em oficina de vídeo com Lea van Steen & Raquel Kogan.

Para esta segunda temporada de oficinas, a primeira parada do Labmovel foi em frente ao CEU Paraisópolis, neste último Sábado (08/06/2013).

A medida que as pessoas iam chegando ao CEU, o grupo do Labmovel explicava um pouco sobre o objetivo daquela oficina. Assim o grupo foi se formando naturalmente, enfrentando a competição contra a piscina em um dia de sol.

Segundo a coordenadora Karina Sampaio o CEU Paraisópolis foi inaugurado em 2008 e conta com cerca de 5.000 pessoas inscritas, aproximadamente 10% da população local, mas um número considerável de pessoas também freqüenta o complexo sem inscrição.

Labmovel 2013 04

As artistas Lea van Steen e Raquel Kogan trouxeram como proposta aos participantes estimular o olhar na criação de imagens. Para isso, não é preciso usar equipamentos muito sofisticados, mas sim qualquer tipo de equipamento que registre a imagem em movimento, como celular e câmeras simples. Basta um olhar atento e curioso.

Para sugerir possibilidades de criação aos participantes, as artistas começaram apresentando brevemente o trabalho que elas fazem juntas usando objetos comuns do dia a dia. Um dos vídeos usava como objeto central a imagem refletida em um espelho, com uma imagem em movimento ao fundo.

Labmovel 2013 09

Com uma bolsa com objetos como bandeja de alumínio, caixa de espelhos, cortina de plástico, vidro de aquário e um porta retrato, as artistas explicaram que pode ser interessante obter imagens de acasos que surgem quando um olhar atento procura significados em coisas comuns, como o espelho que reflete o seu entorno, mas também reflete luz e pode ser usado para mudar a iluminação de um ambiente.

Labmovel 2013 07

Aos poucos, os participantes foram explorando os objetos trazidos pelas artistas, mas também o entorno do Labmovel: as pessoas que passavam pela rua, seus conhecidos, o espelho de uma moto estacionada, e o ponto final (quase) obrigatório foi a piscina.

Ao final da tarde, o grupo se juntou perto de um painel para assistir as imagens que tinham captado. Foi um momento surpreendente ver os resultados dessas crianças que sem aulas técnicas e de composição, escolheram de forma sensível as imagens que queriam guardar.

fotoImagens por Lucas Gervilla e Gisela Domschke