Algumas pessoas que andavam na praça Morcegão, no bairro Artur Alvim, viram a movimentação de crianças e a presença do Labmovel. Pararam para ver o que estava acontecendo, explicamos sobre nossa ação para entender a dinâmica e a diversidade do bairro no contexto da implantação do futuro Território CEU José de Anchieta. Mostrávamos a programação de nossas atividades os convidando para voltar.

IMG_0752

A primeira oficina no bairro foi com um grupo do Infantil II (5 anos) da EMEI Leonardo Arroyo. Umas das professoras explicou o nome formal da praça que homenageia uma antiga moradora chamada Dilva Gomes Martins e a razão do apelido “Morcegão”, vindo da forma de uma estrutura que existia antigamente para shows que lembrava as asas de um morcego.

Chamando a maquete fotográfica de quebra-cabeça, identificaram casas, a linha do trem a estação de metrô, a ponte, os campos de futebol e as caixas d’água.

Com a mediação dos educadores procuraram a escola que frequentam no mapa e qual o caminho que percorreram para chegar até a praça onde estávamos. Aos poucos foram se familiarizando com o desenho do bairro.

Construíram, em cima da maquete, o que reconheciam como parte do bairro: casas, garagens para carros, caixa d’água, campos de futebol e piscinas. De uma forma muito lúdica e espontânea listaram coisas e atividades que gostariam de fazer: brincar, se divertir, jogar de basquete, “futebolzinho”, gostariam que a grama fosse branca e verde, doce, brigadeiro, aniversário (festa), parquinho, bola, gol, vôlei, piscina, “escada” (arquibancada) para ver jogos. Brincadeiras de rua antigas e simples.

Após esse primeiro encontro com as crianças do bairro, a equipe do Labmovel se reuniu para fazer a rotineira avaliação da atividade e uma pergunta que surgiu foi:

– Qual é a melhor maneira de explicar para crianças de 5 anos o quê é um céu, sem dizer que é um prédio?

– É um lugar – definimos em conjunto.

Na parte da tarde, conversamos com os skatistas que usam habitualmente as pistas de skate da Praça do Morcegão. Construindo a maquete fotográfica, eles mapearam as pistas de skate que são usadas hoje em dia no bairro. O skate é uma tradição forte: “o pessoal anda mais de skate do que joga futebol”, disse um deles. E isso é visível pelo número de pontos que elencaram no mapa. Ao contrário do futebol, o skate ainda não possui uma organização tão estruturada no bairro, com times e clubes.

IMG_2406

A manutenção do espaço da praça muitas vezes foi feita por iniciativa dos próprios skatistas. Eles construíram um “palquinho” de concreto para praticar manobras, plantaram algumas árvores frutíferas e, quando necessário, fazem pequenos reparos na pista. Como uma rede colaborativa, organizam mutirões de limpeza na praça, ajudando uns aos outros quando precisam de peças, shapes ou até tênis.

A Praça do Morcegão, e parte dela apelidada de “quadradão”, é usado como ponto de encontro, pista de skate, lugar de competições, balada, e recentemente também é usada para sarau.