ARTISTAS

FERNÃO CIAMPA

Psicólogo formado pela PUC-SP, artista visual e co-fundador do coletivo Embolex, com foco em performances audiovisuais ao vivo.

ÉRICO THEOBALDO

Músico, compositor, produtor musical e DJ, atualmente integrante do coletivo Embolex e das bandas Telepathique, Eat Beat Repeat e Aldo.

JAIME LAURIANO

Graduado em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes – SP. Seus trabalhos discutem as estruturas envolvidas na constituição do espaço público e as questões derivadas da condição do negro no país.

CLAUDIO BUENO

Nascido em São Paulo, Claudio Bueno é artista multimídia, doutorando em Artes Visuais na ECA-USP. Foi professor do IED (Istituto Europeo di Design), recebeu prêmios e participou de exposições nacionais e internacionais. Por meio de ações em espaço público e instalações, seus trabalhos lidam principalmente com a relação entre corpo, participação, redes, espaço e informação – em geral, envolvendo os meios digitais, o espaço público e noções de invisibilidade. Prêmios e comissionamentos recebidos, estão: Menção Honrosa no Prix Ars Electronica (Linz/Austria); Prêmio Transitio_MX (Cidade do México); Rumos Arte Cibernética (São Paulo); Videobrasil em Contexto (São Paulo e Londres); Festival Arte.Mov; entre outros. Dentre suas apresentações em exposições e falas públicas, estão: Paço das Artes (São Paulo); Galeria Luciana Brito (São Paulo); Casa Tomada (São Paulo); MIS-SP; Itaú Cultural (São Paulo); Galeria Whitechapel (Londres); La Chambre Blanche / Avatar / La Bande Video (Cidade de Québec), entre outras.

FERNANDO VELAZQUEZ

Fernando Velázquez é artista multidisciplinar. Suas obras incluem vídeos, instalações e objetos interativos, e performances audiovisuais. Doutorando em Comunicação e semiótica pela PUC-SP, participa de exposições no Brasil e no exterior com destaque para a Emoção Art.ficial Bienal de Arte e Tecnologia (Brasil, 2012), Bienal de Cerveira (Portugal, 2013 e 2011), Mapping Festival (Suíça, 2011), WRO Biennale (Polônia 2011), On_off (Brasil, 2011), Bienal do Mercosul (Brasil, 2009), Bienal de Tessalônica (Grécia, 2009), Bienal Ventosul (2009), e o Pocket Film Festival no Centro Pompidou (Paris, 2007). Obteve dentre outros o Premio Sergio Motta de Arte e Tecnologia (Brasil, 2009), Mídias Locativas Arte.Mov (Brasil, 2008), “2008, Culturas” e o Vida Artificial (ambos na Espanha, 2008). Foi curador do Motomix 2007, Papermind Brasil, Dorkbot São Paulo e do Projeto !wr?. Professor da PUC_SP, vive e trabalha em São Paulo.

VÍRGINIA DE MEDEIROS [Oficina Babel Indiscreta, oficina #2 2014]

Virginia de Medeiros, baiana, radicada em São Paulo, é Mestre em Artes Visual, formada pela Universidade Federal da Bahia. Em 2003, foi contemplada com a Bolsa Vitae de Artes. Teve a obra “Studio Butterfly” selecionada pelo Programa Rumos Itaú Cultural na edição 2005-2006, que também participou da 27ª Bienal de São Paulo, em 2006. Em 2009, participou da Residência Artística “International Women for Peace Conference”, em Dili, Timor-Leste e em 2007 a Residência Artística no Centro de Artes La Chambre Blanche, em Québec, Canadá. Recebeu o prêmio Rede Nacional Funarte Artes Visuais 2009 com a vídeo instalação “Fala dos Confins”, que em 2013 foi adquirida pelo Centro Cultural São Paulo através do Prêmio de Artes Plástica Marcantonio Vilaça – 6a Edição.

BRUNO SCHULTZE + MARIO RAMIRO [Espaço em Movimento, oficina #1  2014]

Bruno Schultze é Mestre em Poéticas Visuais pela ECA/USP, artista plástico e docente de vídeo e fotografia. Expôs seus trabalhos em galerias e espaços públicos e privados em diversos países. Atua junto a comunidades indígenas brasileiras, ministrando cursos de vídeo e fotografia. Recentemente proferiu palestras sobre seu trabalho junto à comunidade indígena Guarani de São Paulo, durante simpósio nos departamentos de Artes e Antropologia da Vanderbilt University –Tennessee/EUA.

Mario Ramiro é artista multimídia formado pela Universidade de São Paulo. Foi integrante do grupo de intervenção urbana 3NÓS3 e do movimento de arte e tecnologia nos anos 80. Sua produção reúne intervenções urbanas, redes telecomunicativas, esculturas, instalações ambientais, fotografia e arte sonora. É mestre em fotografia e novas mídias pela Escola Superior de Arte e Mídia de Colônia, na Alemanha, e doutor em artes visuais pela USP. Atualmente é professor do Depto. de Artes Plásticas e do programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Comunicações e Artes da USP. Ramiro não é representado por nenhuma galeria.

COLETIVO PASSAROLA [Festival Tropixel 2013]

Fabiane Borges, Pedro Soler, Arcangel Constantini, Lucas Bambozzi, Fernando Velazquez, Felipe Fonseca, Marcus Bastos, Bruno Vianna.

FABIANE BORGES [oficina Passarola @Tropixel 2013]

Pesquisadora e ativista, tem doutorado pela PUC-SP no Núcleo de Estudos da Subjetividade, com pesquisa sobre ontologia dos satélites, tecnologia e xamanismo, orientada por Peter Pál Pelbárt. Fez bolsa sanduiche na Universidade Goldsmiths, no departamento de artes visuais em Londres, em 2011. Trabalha como consultora em Programas Governamentais, Ong’s e Projetos de Arte e Mídia. Escreve artigos para revistas nacionais e internacionais sobre temas como sexualidade, indigenismo, performance, arte e tecnologia, psicologia e política. Autora dos Livros Domínios do Demasiado 2010 e Breviário de Pornografia Esquizotrans 2010. Organizou dois livros da Rede Submidialogia: Ideias Perigozas 2010 e Peixe Morto 2011. Organiza eventos de arte-midia, arte-política, sexualidades, desde o ano de 2002.

MARCUS BASTOS [oficina Passarola @Tropixel 2013]

Artista, curador e pesquisador nas áreas de convergência entre audiovisual, design e novas mídias. É doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, onde trabalha desde 2003. Bastos é autor do e-book Cultura da Reciclagem (Galeria NOEMA, 2007) e um dos editores deApropriações do (In)comum: espaço público e privado em tempos de mobilidade (Instituto Sergio Motta, 2009). Editou, com Lucas Bambozzi e Rodrigo Minelli, o livro Mediações, Tecnologia, Espaço Público – Um panorama crítico da arte em mídias móveis (Conrad, 2010). Foi curador de Ruído (Mostra Vídeo comemorativa de 10 anos / Instituto Itaú Cultural, Belém e Belo Horizonte, 2005) e da exposição Geografias Celulares (Instituto Fundação Telefônica, Buenos Aires e Lima, 2010). Foi curador convidado do arte.mov – Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis entre 2007 e 2012.

LEA VAN STEEN + RAQUEL KOGAN [oficina #1 2013]

Lea Van Steen é video-artista, diretora de filmes publicitários, filmes de ficção e documentários. Premiada com o curta Brincadeira de Criança, e com o vídeo-dança Paisagens no II Prêmio Sergio Motta.

Raquel Kogan é Formada em arquitetura. Premiada no Rumos Itaú Cultural 2002/2007, selecionada no Prêmio Sergio Motta em 2005/2009, investiga mídias digitais em instalações, objetos, vídeos-instalação.

PALOMA OLIVEIRA [oficina #2 2013]

Desenvolvedora multimídia, BASE jumper, pesquisadora, educadora e produtora cultural, busca convergências e aplicações das tecnologias digitais nas artes e no espaço urbano, experimentado linguagens que representem a percepção temporal de um corpo em risco e que experimentem o vídeo em tempo real e as tecnologias digitais para espaços e tempos específicos alem das possíveis simbioses entre corpos carbono e corpos silício.

DENISE AGASSI [oficina #3 2013]

Artista e pesquisadora, desenvolve trabalhos no âmbito da arte em rede e das experimentações com as novas tecnologias do audiovisual. Em sua pesquisa artística, investiga arquivos online para questionar a relação do espaço físico com o virtual, identificando as limitações e potencialidades que envolvem as formas de representação coletiva em diálogo com a vida contemporânea. Tem experiência em pesquisa e produção autoral participando de exposições, grupos de pesquisa e residências artísticas nacionais e internacionais. Sua pesquisa artística é complementada com trabalhos como educadora em diversos centros culturais, e atualmente, é professora no curso de Comunicação na FMU-SP.

VANESSA DE MICHELLIS [oficina #4 2013]

Compositora e artista sonora brasileira, nascida em 1983, residindo atualmente em São Paulo. Investiga paisagens, espaços e tempos sonoros através da criação, apropriação e manipulação de microfones, objetos, instrumentos analógico-digitais e gravações de campo. Nos últimos 8 anos realizou projetos das mais diversas escalas e estilos desde residências artísticas a ações e curadorias em plataformas online, espaços coletivos e redes colaborativas. Atualmente é coordenadora do laboratório de pesquisa em Arte Sonora e Música Experimental no medialab Marginalia + Lab em Belo Horizonte e estuda composição em São Paulo

SANDER VEENHOF [residência Brasil/Holanda 2012]

Artista midiático,  estudou ciência da computação na VU University em Amsterdã e se formou no departamento de Fine Art and Interaction Design-Unstable Media da Rietveld Academy. Trabalha na intersecção desses domínios, utilizando seu conhecimento técnico e intuição para explorar o impacto das tecnologias emergentes sobre a nossa realidade e suas transformações radicais na sociedade contemporânea. Em busca de novas interfaces digitais, a sua gama de trabalhos artísitcos abrange desde projetos de cunho mais técnico a experiências narrativas participativas. Seus projetos mais recentes focam no uso da realidade aumentada em espaço público. Veenhof é um dos membros fundadores da Manifest.AR, um coletivo de artistas que criam suas obras em “AR”. Mais conhecido por sua exposição sem ser convidado no MoMA NY, o grupo apresenta novas oportunidades de relação com o público, dentro de um contexto no qual as fronteiras e limitações físicas não são tão relevantes.

PIXEL [residência Brasil/Holanda 2012]

Pixel éVJ e pesquisador de multimídia em software livre. Criador da rede VJBR, integra o coletivo Media Sana e as redes MetaReciclagem e Estúdio Livre, colabora na elaboração de versões do NGO-in-a-Box, com o desenvolvimento do LiVES, e pesquisa interfaces de interação entre homem e computador.

RADAMES AJNA [oficina #1 2012]

Educador, hacker-artista, bacharelando em Física pela USP e criador do Hacklab.es no SESC Pompéia, onde ministra oficinas de Arte e Tecnologia. Entusiasta da Eletrônica, das mídias digitais, da cultura DIY (Do It Yourself) e disseminador do Arduino no Brasil. Interessado nas novas mídias e no seu poder criativo. ‘

THIAGO HERSAN [oficina #1 2012]

Fez graduação e mestrado em Engenharia Elétrica e de Computação na Carnegie Mellon University em Pittsburgh, EUA. Já trabalhou como pesquisador e engenheiro na área de desenvolvimento de tecnologias para fabricação de circuitos integrados. Trabalha com educação e cultura digital, dentre outras coisas.

MATEUS KNELSEN [oficina #2 2012]

Mateus Knelsen é mídia-artista e pesquisador em interfaces digitais e transmídia com trabalhos expostos nos principais festivais de arte e tecnologia do Brasil

RICARDO PALMIERI [oficina #3 2012]

Ricardo Palmieri (vj palm) é mestrando em Tecnologia da Informação e Design Digital pela PUC-SP, arquiteto, produtor multimídia e pesquisador de ferramentas livres para produção artística. Vem dialogando com as potencialidades do uso do computador nos processos de produção de sistemas ubíquos e interativos e desde 2003 é usuário e ativista de softwares e hardwares livres em diversas plataformas. Pesquisa produção de multimídia em tempo real (interatividade, livecoding e circuitbending), bem como sistema inteligentes para a geração de conteúdos automatos. É tambem professor do Centro Universitario SENAC. Em 2009 ganhou o premio Mídias Locativas do Fetival Vivo arte.mov, e entre 2011 e 2012 foi residente junto à associação internacional Digibap.

CRISTIANO ‘PANETONE ‘ ROSAS [oficina #4 2012]

Panetone é um projeto audiovisual de Cristiano Rosa, que utiliza dispositivos eletrônicos, construídos ou modificados e explora o campo audiovisual extremo, os panorâmicos: esquerdo e direito; a as frequências: baixas e altas. Em sua investigação desenvolve aparatos novos para cada nova apresentação, operando com o risco e explorando erros, falhas e inoperâncias. Adepto do movimento faça-você-mesmo, constrõe dispositivos com um mínimo de teoria, utilizando os mais variados materiais que vão desde sucata eletrônica diversa até restos de madeira.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s