Labmovel em Santos

O Labmovel foi tema de uma reportagem do jornal A Tribuna de Santos hoje. Amanhã a oficina Babel Indiscreta – a oralidade como um ato performativo com Vírginia de Medeiros chega ao Arte no Dique.
Leia a matéria na íntegra.

[ATRIBUNA - 5]  A_TRIBUNA/GALERIA/DIARIO ... 28/03/14

Anúncios

Babel Indiscreta em Santos

A segunda atividade de 2014 acontece em Santos, com a oficina Babel Indiscreta, ministrada pela artista baiana Vírginia de Medeiros que associa a oralidade a um ato performativo, em um processo que envolve o registro de depoimentos e uma forma de apresentação que pode resultar tanto numa instalação como numa performace. A ação tem apoio do Arte no Dique e conta com a parceria do projeto Cineme-Se, do Sesc e Unisanta.

Babel Indiscreta é um exercício lúdico que debate a subjetivação do corpo pelos atos de fala, articulando a tradição oral com o campo das artes visuais contemporânea. A oficina aborda ato de fala e suas possibilidades performativas, envolvendo questões ligadas ao corpo e sua regulação e legitimação. Através da coleta de registros orais dos participantes, será criado coletivamente uma instalação sonora, na tentativa de revelar o diálogo fecundo que o estatuto da voz desenha no nosso corpo e na nossa cultura.

Cena da oficina em Campinas

A primeira oficina, Fotografia Encenada, com os artistas Mario RamiroBruno Schultze, foi um sucesso. Aconteceu neste final de semana, 15 e 16 de fevereiro, no Ponto de Cultura Maluco Beleza em Campinas

Veja mais fotos.

 

04

Através de uma cena montada para a fotografia, os participantes encontram uma forma de expressar alguma questão ou problema, ou ainda um comentário sobre algo do seu entorno, de sua vivência, de sua visão de mundo. A fotografia é empregada como um meio para a elaboração de narrativas simbólicas, pessoais e críticas. Esta foi uma ação em conjunto entre o Labmovel e o Ateliê Aberto de Campinas.

2014

Entre fevereiro e maio, quatro oficinas foram realizadas em várias cidades do Estado de São Paulo: Campinas, Santos, Ubatuba e Sao Paulo.

A primeira oficina foi de Fotografia Encenada com os artistas Mario Ramiro e Bruno Schultze. Aconteceu nos dias 15 e 16 de fevereiro no Ponto de Cultura Maluco Beleza em Campinas.

Através de uma cena montada para a fotografia, os participantes buscaram uma forma de expressar alguma questão ou problema, ou ainda um comentário sobre algo do seu entorno, de sua vivência, de sua visão de mundo. Mario Ramiro conduziu a oficina ao lado de Bruno Schultz, em uma ação conjunta entre o Labmovel e o Atelie Aberto.

Sobre os artistas:

Mario Ramiro – Artista multimídia, foi integrante do grupo de  intervenções urbanas 3NÓS3 e participante do movimento da arte e tecnologia no Brasil nos anos oitenta. É mestre em fotografia e novas mídias pela Escola Superior de Arte e Mídia de Colônia, na Alemanha, e doutor em artes visuais pela USP, onde é professor do programa de Pós-graduação. O conjunto de sua obra inclui a criação de intervenções urbanas, redes telecomunicativas, esculturas, instalações ambientais, fotografia e arte sonora.

Bruno Schultze é Mestre em Poéticas Visuais pela ECA/USP, artista plástico e docente de vídeo e fotografia. Expôs seus trabalhos em galerias e espaços públicos e privados em diversos países. Atua junto a comunidades indígenas brasileiras, ministrando cursos de vídeo e fotografia. Recentemente proferiu palestras sobre seu trabalho junto à comunidade indígena Guarani de São Paulo, durante simpósio nos departamentos de Artes e Antropologia da Vanderbilt University –Tennessee/EUA.

 

equipe do Labmovel:

Coordenador Geral: Lucas Bambozzi
Direção Artística: Gisela Domschke
Produção Executiva: Larissa Alves
Registro e Assistência de Produção: Lucas Gervilla
Comunicação Visual: Ally
Assessoria de Imprensa: Carola González

parceria:
Ateliê Aberto

realização:
Diphusa

apoio:
ProAc + SEC ESTADO DA CULTURA
Ponto de Cultura Maluco Beleza
Vitória Hotel Concept Campinas

 

OFICINAS ESPAÇO EM MOVIMENTO

4 oficinas em 4 cidades do Estado de São Paulo

m 2014, o Labmovel pode estender sua mobilidade a territórios independentes e descentralizados para além da grande São Paulo, atingindo outras cidades. A mídia digital foi aqui empregada para explorar as relações do humano e do meio ambiente. O projeto colocou em prática atividades laboratoriais como a fotografia encenada em uma instituição de saúde mental na periferia de Campinas, a escuta de histórias de crianças nas palafitas da zona norte de Santos, o uso de um drone acompanhando caminhadas para medição do índice de oxigênio nas águas de Ubatuba e a criação de marcos sonoros, invisíveis e geolocalizados na região de heliópolis. Muito importante nessa série foi a colaboração estabelecida com parcerias locais, que ajudaram na escolha dos locais e contextos em que as ações foram realizadas, assim como na organização dos encontros e nossa interface de compartilhamento com as comunidades. Pegar a estrada e pernoitar em outras cidades trouxe também uma experiência imersiva muito mais rica para o projeto.

apoio: Proac – Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo – Brasil
“Concurso de Apoio a Projetos de Espaços Independentes Vinculados às Artes Visuais no Estado de São Paulo” (edital 24/2013 do programa de Ação Cultural )