Oficina #3 de 2014 em Ubatuba

A terceira oficina do Labmovel é Caminhadas e percursos assistidos com GPS, drones e outras traquitanas e será ministrada por Fernando Velázquez. No workshop serão utilizados um drone (aeronave não tripulada assistida por controle remoto), aliado a um telefone celular com gps e a uma câmera portátil GoPro para pensar a ideia de paisagem, geografia e território desde perspectivas inusitadas.

“As pesquisas com drones surgem no âmbito da indústria bélica, mas a atual popularização destes artefatos, devido em parte a cultura do DYI (faça você mesmo), tem aberto um leque de questões que envolvem a técnica, a ética e estética. Iremos nos divertir numa deriva urbana pesquisando formas de captação de vídeo, mapeamentos geográficos pouco comuns, e discutiremos em conjunto uma possível ética por trás destas atividades”, conta Velázques.

Carga horária: 8h (2 dias de 4h cada)
Vagas: 20
Requerimentos do participante: nenhum conhecimento específico
Inscrições: info@labmovel.net

Sobre o artista que vai ministrar a Oficina #3:
Fernando Velázquez é artista multidisciplinar. Suas obras incluem vídeos, instalações e objetos interativos, e performances audiovisuais. Doutorando em Comunicação e semiótica pela PUC-SP, participa de exposições no Brasil e no exterior com destaque para a Emoção Art.ficial Bienal de Arte e Tecnologia (Brasil, 2012), Bienal de Cerveira (Portugal, 2013 e 2011), Mapping Festival (Suíça, 2011), WRO Biennale (Polônia 2011), On_off (Brasil, 2011), Bienal do Mercosul (Brasil, 2009), Bienal de Tessalônica (Grécia, 2009), Bienal Ventosul (2009), e o Pocket Film Festival no Centro Pompidou (Paris, 2007). Obteve dentre outros o Premio Sergio Motta de Arte e Tecnologia (Brasil, 2009), Mídias Locativas Arte.Mov (Brasil, 2008), “2008, Culturas” e o Vida Artificial (ambos na Espanha, 2008). Foi curador do Motomix 2007, Papermind Brasil, Dorkbot São Paulo e do Projeto !wr?. Professor da PUC_SP, vive e trabalha em São Paulo.

ubatuba

Anúncios

Oficina #2: Projetores portáteis DIY

A oficina 2: Projetores portáteis DIY vai acontecer no próximo domingo, dia 16 de junho, das 13h30 as 17h30 no CEU Jaçanã. A artista Paloma Oliveira vai ensinar a construir vídeo projetores DIY com materiais baratos e equipamentos que se encontram em desuso em sua casa  e no seu bolso.

Sobre a oficina
Já pensou que é possível transformar seu celular ou tablet em um projetor de vídeo?
Esta oficina propõe a construção de vídeo-projetores DIY com materiais baratos e equipamentos que se encontram em desuso em sua casa.
Já pensou que massa poder ver vídeos de seu celular projetados na parede de sua casa? E na tela de uma kombi em uma pracinha?
Então bora aprender!
Materiais usados na oficina:  tablet, celular, caixas de papelão (mais legal ainda se forem encontradas na rua ou que sejam doadas pelo super mercado), canos de papelão, fresnel (retirado de retro projetores velhos ou comprados, encontra por cerca de R$20,00), lentes de aumento (do suporte do ferro de solda, do avô, faça o teste e veja qual funciona melhor), espelho (desses de 1 real), cola quente, papel alumínio, parafusinhos pequenos, tecido preto, caixas de som? hum… maybe… pra conectar no celular… tesoura, estilete, caneta piloto (pra desenhar no papelão)

E em homenagem ao bairro, vamos lembrar deste clássico de Adoniran Barbosa.

Novas oficinas do Labmovel

As atividades para este mês de Junho foram pensadas para um público jovem, e tem como tema a “identidade” e o “lúdico”. A programação do Labmovel envolverá 4 oficinas, uma a cada final de semana, espalhadas pela cidade de São Paulo, nos bairros de Paraisópolis, CEU Jaçanã, CEU Formosa, e parque ecológico do Tietê.

A primeira oficina (dia 8) com as artistas Lea van Steen e Raquel Kogan despertarão o olhar dos participantes do CEU Paraisópolis através de objetos do cotidiano em uma oficina de vídeo. Na segunda oficina (dia 16) a artista Paloma Oliveira proporá para os visitantes do CEU Jaçanã a construção de vídeo-projetores DIY com materiais baratos e equipamentos domésticos, que se encontram em desuso. Já a terceira oficina (dia 27), acontecerá no CEU Formosa e investigará de forma poética sobre o que somos na rede ou sobre o que a rede nos diz que somos, com o título de “Identidados” e mediado pela artista Denise Agassi. Para a última oficina (dia 30) a artista Vanessa de Michellis irá usar dados sonoros para propor discussão sobre as possibilidades e aplicações políticas, didáticas, ecológicas, artísticas e musicais da caminhada sonora e da escuta criativa.

oficina 1: Oficina de Vídeo

artista: Lea van Steen & Raquel Kogan
objetivo: Despertar o olhar dos participantes nas práticas áudio-visuais, através de objetos do cotidiano como panelas, espelhos, jarras, água, vidros, relógios, porta-retratos e etc.
data: 08 de Junho das 12 às 16 horas
local: CEU Paraisópolis – Rua Doutor José Augusto Souza e Silva, s/nº – Jardim Parque Morumbi – São Paulo/SP. Tel: (11) 3501-5660

oficina 2: Projetores portáteis DIY

artista: Paloma Oliveira
objetivo: Esta oficina propõe a construção de vídeo-projetores DIY com materiais baratos e equipamentos que se encontram em desuso em sua casa  e no seu bolso.
data: 16 de Junho
local: CEU Jaçanã

oficina 3: Identidados

artista: Denise Agassi
objetivo: Investigação poética sobre o que somos na rede ou sobre o que a rede nos diz que somos
data: 27 de Junho
local: CEU Formosa

oficina 4: Andante: Caminhada sonora e escuta criativa

artista: Vanessa de Michellis
objetivo: Através dos dados sonoros captados discutiremos possibilidades e aplicações políticas, didáticas, ecológicas, artísticas e musicais da caminhada sonora e da escuta criativa.
data: 30 de Junho
local: Parque Ecológico do Tietê

Multidão na Virada Cultural

182955_10151590352058427_1401847248_n

Com apoio do Labmovel, foi gravado durante a Virada Cultural imagens para o projeto Multidão, de Lucas Bambozzi

O projeto é uma instalação que vem sendo apresentada em diferentes situações, sempre com imagens de uma multidão em ações distintas.

Durante a Virada Cultural, as duas paredes inferiores do Viaduto do Chá formaram as telas para a projeção, utilizadas como forma de criar um “embate” ou “conversa” entre duas multidões diferentes. Uma turma com  dizeres e cartazes convidava outra, mais passiva e reticente, a se juntarem e formarem uma única multidão. O apoio do Labmovel na logística do projeto foi fundamental para a preparação das imagens que foram projetadas cerca de 40 minutos após a gravação.

943563_10151590376478427_1056113374_n

projeto de Lucas Bambozzi
local: Vale do Anhangabaú, sob o Viaduto do Chá
de 18 a 19 de maio, Virada Cultural
produção: Larissa Alves e Luciana Tognon
câmera: Gabriel Bitar
apoio: Visualfarm
realização: Diphusa Mídia Digital e Arte Ltda
parceria: Labmovel

Labmovel no site Educacao e Cultura Digital

Gisela Domschke, uma das idealizadoras do Labmovel, fala sobre a proposta do projeto e as oficinas realizadas em 2012.

Categoria: NotíciasSlideshow

Educação e Cultura Digital

“Nosso objetivo  com as oficinas não é apenas o de ensinar ao participante uma técnica específica, mas principalmente a de estabelecer um novo espaço de trocas de conhecimento  e experiência”, afirma Gisela.

Screen Shot 2016-04-29 at 11.29.48 AM

É uma kombi? Uma casa sob rodas? Tem telão, cadeiras de praia, computador, fogão. E um monte de “geringonças”, restos de materiais, caixa de papelão, fios, e até um gerador. Com tudo isso e mais um pouco, o Labmovel é um laboratório itinerante de mídias móveis, que leva a todos os cantos da cidade exposições e oficinas, possibilitando atingir um público diferente daquele que frequenta museus e galerias.

Clique aqui para ler a entrevista de Gisela Domschke, co-idealizadora do Labmovel, em que ela comenta as ações realizadas em 2012 e comenta um pouco sobre o que vem por aí.