Gisela Domschke fala do Labmovel

Gisela Domschke, idealizadora do Labmovel ao lado de Lucas Bambozzi, fala sobre as ações que rolaram este ano e o que vai acontecer no ano que vem.

Quais foram suas impressões do Labmovel? 

Ao explorar novas formas de mediação entre o artista e o público em áreas da periferia, onde o acesso a arte e tecnologia é ainda escasso, nosso objetivo é o de criar novas conecções e trocas de experência – tanto para o artista quanto para o público. O aspecto da mobilidade oferece uma alternativa aos espaços institucionais e seus laços por demais fixos e estáveis.

De todas as ações teve alguma mais especial? E por que?

A oficina do Panetone em Capão Redondo funcionou muito bem devido ao apoio que tivemos da Casa do Zezinho. A colaboração com uma organização local facilita a divulgação e a organização da oficina.

A conversa sobre ocupação de espaços públicos foi tema constante este ano. O que ainda falta para que a cidade seja um ambiente ideal para as  pessoas?

Uma política que seja focada no espaço público – em termos de transporte, urbanização e programas de atividades sócio culturais.  Infelizmente nossa política ainda privilegia a especulação imobiliária em seus projetos urbanísticos.

Quais outros artistas vocês querem incluir nos próximos rolês do Labmovel?

Para 2013 pretendemos realizar uma série de oficinas com artistas mulheres.  As oficinas terão como foco o jovem e apresentarão como temas a questão da “identidade” e do “lúdico”. Para isso, vamos colaborar com organizações locais de cada região. Estamos, no momento, agenciando parcerias para que o programa se torne realidade.

E tem alguma outra coisa que você queira falar?

Nosso objetivo  com as oficinas não é apenas o de ensinar ao participante uma técnica específica, mas principalmente a de estabelecer um novo espaço de trocas de conhecimento  e experiência.

Anúncios

Oficina #4

O Labmovel fez uma mostra de videos

Depois dos dois dias de oficina, todos os participantes fizeram uma apresentação coletiva no auditório da Casa do Zezinho. Em breve, aqui no blog vamos postar os videos da apresentação.

Segundo dia da oficina #4 no Capao Redondo

O segundo dia da oficina #4 do Labmovel aconteceu hoje a tarde no Campo do Astro em frente a Biblioteca para Todos do Parque Santo Antônio no Capão Redondo, Zona Sul de São Paulo.

O oficineiro da oficina #4 Eletrônica Criativa e Producão Sonora foi Panetone.

E teve apoio da Casa do Zezinho, que levou seus alunos para a oficina.

Conheça os outros workshops que passaram pelo Labmovel em 2012: Realidade Aumentada, #1, #2, #3.

Panetone demonstrando como se cria um instrumento sonoro simples para produção musical

Um dos  alunos executando os ensinamentos da oficina

Panetone e uma das alunas da Casa do Zezinho

Visão do Campo do Astro, onde fica a Biblioteca , local da Oficina #4

Alunos da oficina

Panetone, Lucas Gervilla (documentarista do Labmovel) e Lucas Bambozzi (idealizador do Labmovel)

Labmovel no Capão

O Labmovel apresenta sua última ação do ano na Casa do Zezinho na zona sul de São Paulo, importante ONG localizada no Capão Redondo. Intitulada de ‘Eletrônica Criativa e Produção Sonora’, a oficina propõe a reciclagem eletrônica, modificação de transmissores de rádio e tv e técnicas de ‘circuit bending’ visando a criação de instrumentos sonoros simples para produção musical.

Criada pelo Labmovel e o oficineiro Cristiano Rosa (Panetone), o workshop em dois dias pretende desmitificar aparatos tecnológicos recentes, envolvendo diferentes possibilidades de uso da eletrônica. Partindo da desconstrução de aparelhos conhecidos, suas partes serão investigadas e recombinadas, fazendo uma leitura do interior dos objetos abordando a eletrônica de forma não convencional.

Uma série de projeções antecede e fecha os dias da oficina, com vídeos ligados a projetos de arte e mídias móveis, envolvendo o uso de tecnologias em espaço público.

Faça sua inscrição: produção@artemov.net